MEU  QUERIDO  CAMARADA  DESCANSANDO  EM  PAZ (1) Tentei várias vezes, mas não fui capaz de comunicar tudo o que andava preso neste peito. Preciso deste desabafo, pá! Agora sim... Finalmente... Tu chamaste-me e cá estou. Obrigado, irmão! Deveria ter vindo mais cedo, mas... Não te preocupes. Estarei sempre presente! >Não te lembras? Andámos juntos no Vietname. Partiste sem te despedires! Então, "My dear friend" (2), não sabes que é regra geral dizer "goodbye" (3)  quando se parte?! Zanguei-me contigo! Partir é morrer um pouco, sim, mas não como tu! Partiste e nunca mais te vi, pá!  Não pensava que fosses assim tão indiferente!

É  certo, meu caro, desta vez não tiveste culpa. OK, está tudo perdoado... Ou não está? Partiste muito cedo, não achas? Cedo demais... E ainda deves lembrar-te da nossa simples canção diária: "I wanna go home".
Há que tempos que não te vejo! Tenho falado contigo pelo decorrer da noite até ao romper da aurora. Sim, tenho falado contigo, mas só hoje pela primeira vez é que tive a coragem de vir ver-te aqui nesta enorme parede de granito onde acabaste de vir parar com milhares de outros camaradas. "Welcome home, my dear, dear brother-in-arms". (5)  Pelo menos, não andas sozinho. Mas, porquê tudo isto, pá? Porquê? Viva a paz e Deus te abençoe. Será que estás ainda à minha espera numa terra além do não sei quê? Lembras-te dos céus iluminados de artilharia nas noites infernais e das tuas ideias de, algum dia, ires à Lua? Contávamos as estrelas. Cada uma com o nome de um dos nossos camaradas. Será aí mesmo onde esperas Quando é noite e fecho os olhos, sei que tu é que és aquele Anjo da Guarda que suavemente continua a passar os dedos por cada sonho que me renova o cérebro. Foste bem treinado, pá! Treinado pelo grande Capitão-Mor dos Céus. Nosso capitão...  Dá-lhe um abraço por mim. Então quem seria o meu Guarda senão tu, meu querido irmão, camarada de sempre? Meu Anjo da Guarda... Então não vês que já lá vão vinte anos e o ontem do hoje é sempre o hoje de ontem?  Andámos sempre juntos, pá! Pensas agora que te ia abandonar? "Never!"(6)  Nada disso! Nunca! Tu abandonaste-me, mas não tiveste culpa. Compreendo. Mas ainda não sei bem porquê. "Short!"(7)  Quantas vezes não gritávamos "Short"? Sabíamos que o nosso "tour of duty"(8) estava prestes a terminar. Sabias que vinhas para casa para abraçar os teus saudosos pais, irmãos, namorada, amigos. Vieste, mas... E os abraços, meu caro irmão? Aqueles abraços de que tanto precisávamos, meu caro. Que saudades, Santo Deus!  "I miss you like crazy!"(9)Hoje estou aqui. Finalmente tive a coragem de te obedecer. Presente! Desculpa lá, pá! Não vim há sete anos quando me chamaste para te ver erguido neste grande "V" dos heróis. Mas, daqui por diante, estarei sempre presente, meu camarada, meu irmão de sempre. Vejo o teu nome e vejo-me espelhado na "parede de lágrimas" ao teu lado, abraçando-te e gritando--nós juntos--a palavra querida: "short!"  Tinha medo de te ver, de chorar, de já não te conhecer...Cá estou. Não tenho medo. Choro. Conheço-te, respeito-te. Estou presente, estás presente, estamos presentes à guarda de Deus, meu herói, meu irmão, meu camarada de sempre... Precisava de vir ter contigo. Ai Jesus, tanto que precisava! Tanto que precisava de sentir novamente os teus braços a apertarem-me. E aquele abraço que não me deste por teres partido tão cedo--tão cedo e inesperadamente.Sim, irmão, partiste tão cedo... Por isso o meu coração nunca mais sentiu aquela felicidade de outrora. O teu espírito é a minha força, a minha coragem de hoje, de amanhã. Aquele lema especial que muito nos serviu no Vietname--"Sempre p'rà frente!"--é ainda mais vivo hoje do que nunca. E, enquanto eu por aqui andar, nunca morrerá! O prazer é todo meu, pá!  Tu é que mandas! Conta comigo... Estou contigo hoje, querido irmão, e quero contar-te muito mais ainda. Será para outra vez... Só tenho um pedido a fazer-te:  é que estejas de mim tão orgulhoso como eu estou de ti. Estou tentando o mais que posso... Partiste tão cedo, mas estás sempre a puxar pela minha manga, pá! Gosto! Não pares! Assim nunca esquecerei a humildade que nos faz os homens que somos. Estou aqui hoje por causa de ti. Desta vez chamaste-me... Estou presente! Sempre presente. Que saudade, meu querido Deus do Céu--nosso grande General dos generais!E quantas vezes em solo asiático não chegámos a cantar:  "We've got to get out of this place if it's the last thing we ever do"? (10) Partiste sem nada dizeres. Abandonaste-me, meu irmão, mas nunca deixaste de ser o meu Anjo da Guarda.Sinto-te presente, camarada. "We are together, my dear comrade. It was not your fault. How can I help? May I take your place? You've been gone for so long, but you are always here, my Guardian Angel". (11)  Meu Anjo da Guarda querido...O que terias tu feito se fosse eu que estivesse aí nessa parede no teu lugar? Não terias feito o mesmo? Conheço-te por dentro e por fora, camarada. Conheço-te. Estarias aqui hoje nesta Segunda-Feira, dia 16 de Outubro de 1989. A repetir tudo o que nesta missiva, neste desabafo, vou relatando. Estarias presente, dirigindo as tuas emoções, as tuas lágrimas, tanto a mim como aos mais de 58.000 irmãos ao teu lado que te acompanharão até sempre. Não achas? Conheço-te. Conheço-te muitíssimo bem, meu caro camarada, meu irmão, meu amigo, nosso herói de sempre...Andaste comigo no Vietname. Andei e andei à tua procura, mas já tinhas partido. Não completaste o teu "tour of duty". Completei o meu e cá estou. Vejo-me "retratado" na grande parede--pela primeira vez--e vejo-te como nos tempos de outrora, de hoje. Quero abraçar-te e tento fazê-lo. A parede é tão fria, sem vida. Tu estás vivo e sempre estarás!E os nossos camaradas que ainda andam em solo asiático, aqueles que ainda não chegaram à terra do Tio Sam para finalmente descansarem os corpos fatigados, os "Missing in Action"? (12)  Vê lá, camarada, meu irmão, se dás aí nesse planalto-mor dos planaltos celestiais, um jeitinho. Pede licença e fala com o nosso General. É que ainda andamos à espera deles.  E os nossos camaradas desconhecidos? Não têm nomes? Têm sim. Chamam-se HERÓIS. Sim, HERÓIS como tu, meu caro... Espero o dia de poder sentir aquele abraço bem apertado de sempre e de ouvir-te, nova e valentemente, a ecoar as tuas palavaras de coragem e orgulho:  "Sempre p'rà frente!"< E, quando olhar para a lua e para as estrelas lembrar-me-ei de ti e do teu descanso em paz. Pensarei (penso!) no dia em que a nossa reunião seja eterna.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

page 1 - page 2 - page 3 - page 4 - page 5 - page 6 - page 7

 

 

Português ptflag

Support is Needed

  • Without your support we cannot continue our work to research, educate and archive information concerning the Portuguese and related groups. All donations are tax deductible. PAHR Foundation is a federally recognized 501c3 non-profit organization.
  • Order Books


  • Contact Us

  • Non-Profit organization incorporated under the laws of North Carolina.
    Dedicated to the Research of Early American History and the Portuguese Making of America. 501 (c) (3)

armillary

  • Updated:
    November 18, 2011